Paperless: reduzindo o papel na rotina

Paperless

Paparless-blog-vinte-e-tres (3)

Imagem: Stocksnap

Se o minimalismo, como estilo de vida, diz respeito a viver com menos, o paperless (menos papel ou sem papel, na tradução) se trata de viver com menos papel. Quando se deseja manter um ambiente mais livre e de forma simples, o acúmulo de papel pode ser um empecilho. Livros, documentos, contas, recibos, revistas, incontáveis materiais de papelaria… Todos esses objetos podem ocupar um espaço precioso e em alguns casos correm o risco de virar tralha.

Foi o que eu notei ha algum tempo, ao observar meu quarto e perceber que o papel estava ocupando um espaço que eu não podia me dar ao luxo de dispor e que me serviria melhor para outros fins. Descobri que viver com menos papel não é difícil, só requer algumas mudanças de hábito para que o ato de consumir esse material saia do automático. Eis algumas mudanças simples que eu adotei e que podem fazer muita diferença para incorporar o paperless no dia a dia:

1. Opção por livros digitais

Paperless-blog-vinte-e-tres (2)

Meu lema rumo ao paperless tem sido: “mais vale uma biblioteca na mão do que uma em casa juntando pó”. Eu sempre gostei de ler e por isso costumava fazer questão de comprar livros de papel e ter coleções nas prateleiras. Entretanto, percebi que no que diz respeito aos livros, eu gosto de lê-los, não faço questão de ter objeto em si, por isso tenho preferido os e-books.

A desvantagem em adquirir livros digitais no Brasil está esta nos preços, ainda altos por aqui se comparados aos dos livros físicos, e eu concordo que deveria ser mais acessível. Por outro lado, quando compro um livro digital, gosto de pensar que estou pagando pela experiência daquela leitura, ao invés de pensar que estou deixando de adquirir o objeto.

Existem inúmeras opções para quem quiser consumir e-books. Dá pra ler no tablet, celular ou computador usando serviços como os aplicativos Kindle, da Amazon ou o Play Livros do Google, optar por pdfs ou ainda adquirir um leitor de e-books, que pode ser vantajoso para quem lê muito. A Gabi, do Teoria Criativa, fez esse post bem completo sobre o Kindle,  pra quem quiser um e estiver com dúvidas.

2. Adeus, papelaria!

Nada de mil agendas, bloquinhos e cadernetas. Dá pra manter a organização do dia a dia toda no suporte digital, se for esse o seu desejo. No meu caso, com exceção de uma caderneta que carrego na bolsa, a organização do dia a dia migrou toda para o celular e tablet. O blog Vida Organizada, da Thais, meu preferido sobre organização, foi um grande aliado nesse processo.

As maiores lições que tirei nesse meio tempo foram: não ter pressa e testar diversos métodos e ferramentas de organização, até encontrar um que se adeque ao que você precisa. Existem muitas ferramentas digitais excelentes (e gratuitas!) para se organizar, basta ter paciência para descobrir o que funciona no seu dia a dia.

Paperless-blog-vinte-e-tres (3)

Documentos e rotina na palma da mão.

 3. Documentos

O ideal é digitalizar tudo e fazer backup, que pode ser na nuvem (Google Drive e Dropbox, por exemplo) ou mesmo em um HD externo, o importante é ter todos os documentos (documentos pessoais, exames, receitas médicas, notas fiscais, contas pagas e seus respectivos recibos, etc) arquivados e sãos e salvos. Assim, ao invés de caixas e mais caixas, podemos guardar somente o necessário e nos livrar do resto. Nesse post do Vida Organizada tem um lista ótima de como armazenar documentos e por quanto tempo.

4. Papel-Tralha

Também conhecido como aquele papel que a gente guarda não se sabe porque. Material dos tempos de escola e faculdade, bloquinhos e cadernetas que nunca foram usados (e talvez nem sejam), agendas antigas, revistas velhas, recibos do dia a dia… Se olharmos com atenção a lista só cresce. Nesses casos não tem muito mistério além de descartar tudo aquilo que não tem mais serventia e que só ocupa espaço, manter os necessários e digitalizar aqueles que não precisam existir como papel.

Além disso, outras pequenas ações, como cancelar o envio de contas pelo correio e pagar pela internet, evitar imprimir arquivos desnecessários (em casa e no trabalho) ou dispensar a sua via dos pagamentos em cartão (quando for possível), também ajudam na manutenção desse sistema diário de tentar viver com menos papel.

Espero que as dicas tenham sido úteis. E não vamos esquecer um outro benefício que surge quando decidimos reduzir o consumo de papel: o planeta agradece =)

19 Comentários